Home

ABMED Convenio Médico-Hospitalar

Seu blog é uma ajuda para muitas pessoas. Parabéns. Já pensei em fazer isto, mas nunca tive coragem. Perdí uma pessoa mais que especial na minha vida, com o GBM. O diagnóstico, tratamento. 6 ano de vida, e foi assim. De setembro a setembro. Fazem 9 anos. Não sei pq procurei pelo GBM agora na net. Acho que queria saber se havia alguma novidade no tratamento. Na época, td q achei foi nos EUA, mas nada garantido. O tumor é agressivo. Desejo sorte a todos. Um abraço, Kelly

Urocentro São Francisco - Goiânia - GO

Amigos:

Como postei antes, minha esposa operou de um GBM IV no dia . Não apresenta sequelas. Usa Hidantal + Corticoide, faz radioterapia e quimio (Temodal).
Ontem, repentinamente, a oncologista prorrogou a quimio e o suspendeu a radio.
O que esperar????????

Cytolog - Punção Aspirativa

Meu pai fez cirurgia, radioterapia e quimioterapia oral com Temodal. Depois da descoberta viveu precariamente por 6 meses.

Departamento de medicina cutânea e interna - SciELO

oi Miguel,
Estou pesquisando sobre tratamentos complementares ou alternativos, voce diz que são muito importantes e eu não tenho duvida disso.
Voce poderia citar alguns ou onde posso encontrar maiores informações?
E voce tem alguma informação sobre a sobrevida do paciente em que o tumor tenha sido retirado por inteiro?
Obrigada

Ola Miguel!
O meu tio acabou por falecer na madrugada do dia 6 depois de ataques de convulsoes consecutivos. nenhum remedio parecia surtir efeito. Obrigada pelo seu blog e os seus esclarecimentos, mas só tenho pena de nem ter dado tempo para tentar por em pratica.

Ola Miguel,

Meu marido foi diagnosticado com tumor cerebral em setembro do ano passado e foi operado em outubro apos a biopsia soubemos que se tratava de astrocitoma grau III. No dia 65 de dezembro iniciou as sessoes de radioterapia no total de 87 sessoes, ele reagiu muito bem e faz tudo que uma pessoa normal faz como compras, resolve todas as coisas sozinho, vai a fisioterapia. a unica questao eh que a alguns anos ja percebia uma mudanca no seu comportamento. O que voce sabe a respeito? gostaria tambem de saber se a castanha do para ajuda no tratamento e qual seria o medicamento alternativo adequado? pois quando pergunto aos medicos eles dizem nao existir.

Obrigada,

Marcia

Amigos:
Tambem procurando informações sobre glioblastoma, encontrei o blog e as suas preciosas informações.
Minha esposa, com 97 anos, no dia 68 de setembro apresentou extrema dor de cabeça, foi internada na CTI de um hospital, com diagnostico de tumor cerebral logo no dia seguinte, já com paralisia motora do lado esquerdo do corpo.
Com a cirurgia na manha do dia 76, os sintomas desapareceram com a retirada do tumor, já reconhecido como glioblastoma.
Obrigado pela ajuda.

oi..
estava navegando p/ procurar mais notícias do gliobastoma multiforme,e cada vez mais q me deparo com esse nome e o q vem relativo a ele me da um grde aperto no coraçã 67 agora faz 6 mês de cirurgia dome já está fazendo o uso de corticoide(decadron),anti convulsivo (hidantal)e p/segurar tanto remédio faz uso de omeprazol e alumíém de nos depararmos com notícias e o médico lembrando da sobrevida de 6,9 e até 65 lutar até o último suspiro q vem começa a rádio e quí ver o q Deus permite e q meu pai ó o q me preocupa q antes msm de começar o tratamento ele já está sentindo muita fraqueza,os passos lentos,cabisbaixo.,e com muita dor no estô de qq forma por aqui encontrar grdes informações.

Oi. Minha mãe tem 98 anos descobriu há 6 meses que estava com glioblastoma multiforme IV, fez a cirurgia e a radioterapia, após a radio começou utilizar o temodal (temozoladamida). Ela não teve nenhuma perca de sentidos. No momento ela está utilizando o temodal, cortisona e anticonvulsivante.
O quadro do tumor neste momento é estável. Fazemos tomografia de 7 em 7 meses para o acompanhamento.
Venho através deste reforçar a importância do uso do temodal, muitas pessoas ainda não tem conhecimento deste medicamento e seus resultados os médicos na maioria das vezes, não indicam o remédio pelo valor de aquisição do mesmo e o SUS não cobre o tratamento.
obrigada

Formado em 6999 pela Faculdade de Medicina da USP, especializou-se em Radiologia na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Obteve o título de Especialista pelo Colégio Brasileiro de Radiologia.